joanesburgo

Safári de 1 dia em Pilanesberg

Está com pouco tempo para viajar pela África do Sul, mas ainda assim quer fazer um safári? A melhor opção para os viajantes que ficarão por um período curto na região é conhecer o safári de 1 dia em Pilanesberg.

Neste artigo, você descobrirá a vantagem de fazer esse passeio incrível que fica próximo de Joanesburgo.

Reserva de Pilanesberg

Reserva Safári Pilanesberg

O Parque Nacional de Pilanesberg fica a 2 horas e meia de carro de Joanesburgo, portanto é uma das principais escolhas de safári para quem está na região. A reserva é um verdadeiro paraíso, por lá você tem grandes chances de encontrar os famosos Big 5.

A reserva possui 500 km² e está no centro de uma cadeia extinta de vulcões que entrou em erupção pela última vez há 1.200 milhões de anos. O local possui uma grande diversidade de fauna e flora, sendo lar de quase 7 mil animais.

Você poderá avistar leopardos, rinocerontes, elefantes, leões, búfalos, guepardos, zebras, girafas, hipopótamos, crocodilos e hienas. Além disso, existe uma grande quantidade de pássaros, no total mais de 360 ​​espécies vivem no local.

O parque faz fronteira com o complexo de entretenimento Sun City, portanto alguns turistas optam por se hospedar por lá e aproveitam para visitar Pilanesberg.

Qual a melhor época para fazer o Safári em Pilanesberg?

A visualização de animais é mais fácil durante a estação seca, que acontece durante o inverno em Pilanesberg, entre os meses de maio até setembro. As espécies costumam se juntar próximo a fontes de água para se hidratar, portanto o guia consegue prever em quais locais esses animais podem estar.

O momento menos ideal para fazer safáris ocorre durante a estação chuvosa de Pilanesberg, que acontece de outubro a abril, no verão.

O que levar para o safári?

A nossa dica para os visitantes que vão fazer um safári pela primeira vez é usar roupas confortáveis, levar chapéu para se proteger do sol e protetor solar durante o verão. Se o passeio for feito no inverno, levar casaco para se proteger dos ventos fortes.

Safári guiado em Pilanesberg

Safári guiado de um dia em Pilanesberg

O safári em Pilanesberg possui a opção de guia que fala em português. Assim, você não perderá nenhuma informação sobre a vida selvagem que vive na região.

Além disso, o passeio com guia disponibiliza um translado que busca os visitantes no hotel em que estão hospedados em Joanesburgo e os levam até a reserva.

Roteiro Safári de 1 dia em Pilanesberg

  • 06:30 – Saída do seu Hotel

O translado busca os visitantes no hotel e os leva até Pilanesberg. A viagem leva cerca de 2 horas e meia para ser feita.

  • 09:00 – Chegada em Pilanesberg

Após a chegada em Pilanesberg, os visitantes trocam de veículo e começam o safári em um jipe aberto em busca de animais.

  • 12:30 – Almoço

Depois de algumas horas de safári, o guia faz uma pausa no restaurante que está localizado no centro do parque para almoçar.

  • 13:30 – Continuação do safári

Depois de almoço, o safári continua por mais algumas horas em busca da vida selvagem pela reserva.

  • 15:00 – Fim do safári

Após várias fotos e encontros com os animais, o safári termina às 15:00.

  • 15:30 – Traslado

Por volta das 15:30 começamos o traslado de volta a Joanesburgo.

  • 18:00  – Chegada a Joanesburgo

Chegando Joanesburgo o nosso motorista deixa você no seu hotel onde terminam os nossos serviços

O que está incluso no passeio?

  • Transporte de Joanesburgo
  • Safari de veículo aberto/fechado
  • Água
  • Ingresso
  • Almoço light

Quais as vantagens de fazer esse passeio?

Quem escolhe fazer o safári de 1 dia em Pilanesberg consegue ver vários animais incríveis sem ter que se deslocar para uma região mais longe, como o Kruger. Ainda é possível avistar os Big 5 e outras espécies únicas da fauna sul-africana. O Pilanesberg também é conhecido por ser a quarta maior reserva ecológica da África do Sul e, diferente de outros parques, se localiza numa antiga cratera vulcânica.

O acesso ao parque também é bem fácil e a viagem feita de Joanesburgo até o local é bem tranquila. Os viajantes que desejam se hospedar mais próximo da reserva tem a opção de escolher o SunCity, um hotel e complexo de entretenimento cheio de atividades para você curtir suas férias na África do Sul.

Reserve o Safári de 1 dia em Pilanesberg!

Gostou desta atração? A nossa assessora de viagem está preparada para fazer a reserva desse passeio para você, entre em contato!

Sun City Resort: um lugar incrível na África do Sul

O Sun City Resort é um dos principais destinos de férias na África do Sul, o local é famoso por seus hotéis, atrações e eventos de entretenimento. Se você está planejando uma viagem pelo continente africano, certamente esse é o lugar perfeito para você e sua família. Confira no nosso artigo algumas dicas de como aproveitar tudo o que o Sun City Resort oferece.

O que é o Sun City Resort?

Sun City Resort
créditos: Matt Kieffer

Desde 1979, o famoso Sun City Resort consegue dar uma experiência única aos visitantes. Sem dúvidas, sua infraestrutura deixa os hóspedes deslumbrados. Afinal, o que mais chama atenção no local é a arquitetura que imita um antigo palácio.

Localizado na província de North-West, a 190 km de Johanesburgo, o complexo de entretenimento fica bem próximo do Pilanesberg National Park. Inclusive é possível encontrar alguns animais nas proximidades da propriedade, como macacos e alguns babuínos.

Há uma variedade de atividades no local, o Sun City Resort consegue abrigar seis hotéis, cassinos, casa de show, um parque aquático e dois campos de golfe. Não vai faltar opção de diversão durante sua estadia no local.

O que fazer no Sun City Resort?

Com tantas opções do que fazer pelo Sun City Resort, os hóspedes podem ficar um pouco perdidos no início. Então, indicamos algumas dicas para que você experimente o melhor do resort.

Valley of Waves

Uma das atrações mais famosas de Sun City é o Valley of Waves. O local é uma praia artificial com palmeiras e banhada por águas cristalinas. Se você está procurando relaxar à beira da piscina ou surfar nas ondas, essa é a atração perfeita para você.

Também é possível se aventurar pelos toboáguas, o preferido dos visitantes é o Temple of Courage. Caso você esteja com crianças na viagem, existe uma área infantil para que você acompanhe os pequenos em suas aventuras.

Cassino Sun City

O Cassino Sun City foi inaugurado em 1979 e desde então oferece jogos de apostas em conjunto a muito glamour aos seus visitantes. Recentemente, o local foi reformado e agora possui centenas de máquinas caça-níqueis, assim como mais de quarenta jogos de mesa.

A atração fica aberta 24 horas por dia durante toda semana, ou seja, você pode visitá-lo a qualquer momento. Além disso, vale lembrar que qualquer pessoa pode se aventurar nos jogos, seja você iniciante ou um jogador mais experiente.

Golfe no Sun City Resort

O Sun City Resort possui não um, mas dois campos de golfe de alto nível: o Gary Player Country Club e o The Lost City Golf Course. Ambos foram projetados pela lenda do golfe sul-africano Gary Player.

O Gary Player Country Club é um dos melhores campos de golfe da África do Sul, contanto com 18 buracos em seu percurso. Além disso, o campo é sede do Nedbank Golf Challenge anual e recebe algumas das lendas do golfe mundial.

O Lost City Golf Course se caracteriza por um terreno rochoso, com algumas passagens mais difíceis e lagos pelo caminho. 

Spa e Beleza

Um resort como o Sun City não seria o mesmo sem um spa e um salão de beleza. Portanto, você pode relaxar no Royal Salon ou no Gary Player Health Spa. Ambos são administrados de acordo com o padrão cinco estrelas estabelecido pelo Gatsby International Health Spas.

Você pode fazer tratamentos rejuvenescedores, relaxar enquanto faz uma energização corporal e muito mais. Se você preferir, pode solicitar uma massagem no seu quarto ou na beira da piscina do Sun City.

Atrações nas proximidades do Sun City Resort

Ainda que o Sun City Resort ofereça uma variedade de atividades, muitos hóspedes gostam de explorar a região nas proximidades. Sendo assim, você pode conhecer outros lugares incríveis no território sul-africano e logo em seguida voltar para sua acomodação luxuosa.

Safári no Pilanesberg Game

Safari Sun City

O Pilanesberg National Park é o quarto maior parque da África do Sul. A reserva natural é perfeita para quem quer achar os Big 5 e fazer um safári mais curto.

A entrada do parque está localizada a apenas 10 minutos de Sun City, por isso muitos turistas costumam optar por fazer safári na região. Você pode optar por fazer com seu próprio carro (self-drive) ou com um guia privado.

O Pilanesberg National Park fica dentro de uma cratera inativa de vulcão e possui um bioma único. Afinal, a reserva está situada em uma zona de transição entre a savana úmida e a árida. Com toda certeza, você vai se surpreender com todas as espécies que você vai encontrar por lá.

Safári no Balão

Safári de Balão próximo ao SunCity

O safári feito no Balão também é uma das possibilidades disponíveis no Pilanesberg Park. A Mankwe Game Tracker é uma das poucas empresas que faz esse tipo de serviço na África do Sul.

As paisagens vistas lá do alto conseguem impressionar a todos, sem dúvidas vale muito a pena fazer o voo. A empresa faz todo o acompanhamento durante o passeio. Os hóspedes são recolhidos em seu hotel e levados para o parque. Lá encontram o resto da tripulação.

O voo tem aproximadamente uma hora de duração e no pouso é servido espumante. A atração ocorre no início da manhã e leva em torno de 5 horas para viver a experiência completa.

Vamos planejar sua viagem para o Sun City resort?

Gostou das nossas dicas do Sun City Resort? Nossa assessora de viagens pode planejar um roteiro personalizado para você ter uma experiência incrível por lá. 

#5 atrações culturais na África do Sul

A África do Sul é conhecida por suas belezas naturais e passeios radicais, porém o país tem muito a oferecer com suas atrações culturais. Seja em sua arquitetura, história, arte, gastronomia e tantos outros passeios incríveis. Para que você saiba como montar seu roteiro, separamos 5 lugares para visitar no território sul-africano.

Apartheid Museum

Atrações Culturais Apartheid

Em Joanesburgo, a maior cidade da África do Sul, existe muita história de luta e resistência contra o regime segregacionista que perdurou por 44 anos no país. O Museu do Apartheid retrata o início e o final desse período.

O lugar foi inaugurado em 2001 e, atualmente, é reconhecido como o museu mais proeminente no mundo ao tratar sobre esse momento da história.

A sociedade sul-africana mudou completamente com a extinção do apartheid. Quem visita o museu consegue entender o passado e perceber que a África do Sul está criando um futuro mais justo para todos.

Entrada: 150 rands por pessoa.

Horário: segunda a domingo, 09h às 17h.

Mandela House

Também localizada em Joanesburgo, a casa de Mandela é um dos principais pontos turísticos de Soweto. O bairro foi lar de dois ganhadores do Nobel da Paz: Nelson Mandela e Bispo Desmond Tutu. Curiosamente, ambos viveram e moraram na mesma rua, a Vilakasi Street.

Com o propósito de contar a história do ex-presidente sul-africano, a casa de Mandela foi transformada num museu. Ela foi construída em 1945, mas Nelson Mandela se mudou para o local apenas em 1946. O ativista morou na casa com sua esposa e seu filho mais velho. Após o divórcio, em 1957, ele passou a viver no local com a nova esposa, Winnie. 

A Mandela House reproduz quadros, fotografias, móveis e vários artigos pessoais da época que o ativista viveu na casa. Com certeza, você se sentirá dentro de uma capsula do tempo. 

Entrada: 60 rands por adulto.

Horário: segunda a domingo, de 9h às 16h45.

Zeitz Mocaa

Quem visita Cape Town fica maravilhado com o Zeitz Mocaa. Afinal, esse é o maior museu de arte contemporânea do continente africano. Sua inauguração ocorreu em 2017 e desde então já recebeu diversas exibições artísticas.

Ainda que as artes e exposições sejam incríveis, o que mais chama a atenção do local é sua arquitetura. O Mocaa foi construído num antigo silo de grãos. Devido ao grande espaço, foi possível montar uma estrutura com nove andares e abrigar várias galerias.

O museu oferece exibições temporárias e também permanentes. Só para exemplificar, o Zeitz recebeu nos últimos anos mostras sobre fotografia, moda e Moving Image. Além disso, a instituição é responsável pelo Centro de Educação Artística, o Centro de Imagem em Movimento e um espaço para artistas emergentes.

Entrada: 210 rands por adulto.

Horário: quinta a domingo, de 10h às 16h.

District Six Museum

Atrações Culturais África do Sul

Em Cape Town, o apartheid também afetou diversas vidas. Mas principalmente no bairro Distrito Seis, o qual era habitado por uma comunidade multicultural e étnica. Por causa da Lei das Áreas de Agrupamento, no dia 11 de fevereiro de 1966 o governo declarou a região como uma área exclusiva para brancos. Logo em seguida, os moradores do bairro foram retirados do local.

Com o fim do regime segregacionista, mais pessoas começaram a buscar histórias e a vivência no bairro. Sendo assim, criaram o museu District Six para exibir fotos e documentos que mostrassem a resistência dessa comunidade durante o apartheid. Atualmente, as tours do museu são feitas por antigos residentes do bairro. Então, os visitantes conseguem ter uma experiência mais real do que aconteceu ali no passado.

Entrada: 30 rands por pessoa (visita auto-guiada) ou 55 rands por pessoa (com guia)

Horário: segunda a sábado, de 9h às 16h.

Castle of Good Hope

Atrações Culturais África

A África do Sul cuida de alguns prédios e estruturas do tempo colonial, um exemplo disso é o Castelo da Boa Esperança. Conhecido como o edifício mais antigo do país, a construção se localiza em Cape Town e foi erguido pela Companhia Holandesa das Índias Orientais.

Durante o ano de 1999, o local foi restaurado e transformado em museu. Em sua visita, você pode observar antigas mobílias da época colonial, artefatos preservados e até mesmo pinturas. Além disso, o museu dá acesso ao Castle Military Museum e ao William Fehr Collection.

Uma parte do castelo foi usada como prisão na Segunda Guerra dos Bôeres (1899-1902), por isso é possível visitar algumas celas que permaneceram no local.

Entrada: 50 rands por adulto, crianças pagam meia.

Horário: segunda a domingo, de 9h às 16h.

Dicas para visitar atrações culturais na África do Sul

  • Consulte sempre o site do museu ou passeio que irá fazer, pois os preços e horários podem sofrer alterações;
  • Em espaços fechados, sempre use máscara e faça a higienização correta das mãos;
  • Ainda que os museus não sejam os principais pontos turísticos na África do Sul, compre seu ingresso com antecedência durante a alta temporada para garantir sua entrada;
  • Se você quiser um passeio mais completo, lembre que existe sempre a possibilidade de contratar um guia;

Atrações culturais: melhor época para conhecer

É possível visitar museus e atrações culturais na África do Sul o ano inteiro. Apesar disso, algumas atrações tem mais procura em determinadas épocas do ano. Sendo assim, em alguns meses existem grandes filas e bastante movimentação.

A época de baixa temporada é o inverno, ou seja, entre os meses de junho e agosto. O clima fica mais seco e muitos turistas preferem visitar a região do Kruger para avistar animais.

Já o verão, nos meses de outubro até março, atrai bastante turistas. Esses meses são de alta temporada, por isso os preços aumentam e mais pessoas procuram os passeios culturais.

Caso você queira visitar os safáris, as praias e também museus, vale a pena embarcar para a África do Sul nos meses de meia estação.

Quais atrações culturais você deseja visitar?

Diante de tantos passeios interessantes, aposto que você encontrou o seu preferido. Comente aqui se você já visitou alguma dessas atrações. Caso você queira planejar uma viagem para a África do Sul, converse com a nossa assessora de viagem para saber o melhor roteiro.

Soweto: conheça esse bairro incrível em Joanesburgo

Joanesburgo é um destino muito procurado por aqueles que querem conhecer a história e cultura sul-africana. A cidade foi morada de Nelson Mandela e Desmond Tutu, conhecidos pelo ativismo contra o Apartheid e por serem ganhadores do Nobel da Paz.

O bairro de Soweto é de grande importância para relembrar o período de segregação no país e como ele afetou a população. Sendo assim, existe muita história para ser contada nas casas e ruas do local.

Nesse artigo contaremos um pouco sobre a parte histórica e as atrações turísticas que existem atualmente por lá.

História de Soweto

Soweto foi criada na década de 1930, a princípio a região era habitada por trabalhadores das minas de ouro. Durante o regime Apartheid, o governo branco decidiu separar os negros do resto da população. Foi nesse momento que o local se tornou refúgio para aqueles que haviam sido expulsos de suas casas nos territórios brancos.

Assim que o subúrbio começou a crescer, as pessoas que ali moravam se dedicaram a ser resistência contra o sistema do Apartheid. Como resultado, Soweto possui dois ativistas que ganharam prêmios Nobéis da Paz: Nelson Mandela e Bispo Desmond Tutu. Inclusive, ambos moraram na mesma rua. Após alguns anos, a casa de Mandela se tornou um museu, já a casa de Desmond Tutu ainda é habitada por sua família.

Mesmo depois do fim do regime, o bairro apresenta traços da segregação, por exemplo: Diepkloof é conhecida como uma favela que possui moradias chamadas “matchbox houses” ou casas de caixa de fósforo. Revelando a desigualdade social.

Devido ao tamanho de Soweto, alguns consideram o local uma cidade dentro de Joanesburgo, portanto é recomendado a companhia de guias para conhecer a história e cultura do bairro.

Como chegar

Para se deslocar do centro de Joanesburgo até Soweto, você pode optar por ir de carro, aplicativos de transportes, táxi ou através do ônibus hop-on hop-off.

A vantagem de escolher a tour com o ônibus é que ele faz parada nos principais pontos turísticos de Soweto. Caso você goste de fazer sua própria viagem, então alugar um carro é mais viável e barato do que usar os famosos aplicativos de transporte.

O que fazer em Soweto?

Como mencionado no artigo, Soweto foi palco de campanhas políticas e manifestações contra o regime do Apartheid. Essa luta marcou a população e hoje em dia pode ser relembrada nos museus que estão espalhados pelo bairro. Confira algumas atrações para visitar:

Mandela House

Um dos principais museus de Joanesburgo, a Mandela House, fica em Soweto. A antiga casa de Nelson Mandela fica no nº 8115 Orlando West, esquina das ruas Vilakazi e Ngakane. Em 1945, a residência foi construída, no entanto Mandela e sua primeira esposa Evelyn só se mudaram para lá no ano seguinte. Após 11 anos, Mandela  finalizou o divórcio com a primeira esposa e passou a morar na casa com Winnie Madikizela.

Infelizmente, alguns anos se passaram e em 1962 o ativista foi preso. Ele viveu aprisionado por 18 anos na Robben Island, Cape Town. Posteriormente, a prisão se tornou um museu.

A Mandela House conta com réplicas de objetos e artefatos da época em que Madiba morou em Soweto, além disso existem pequenos quadros informativos que contam toda a história do líder sul-africano. O ativista possui um grande legado na África do Sul, portanto não deixe de incluir a atração em seu roteiro.

Horário de Funcionamento: segunda a domingo, de 9h às 16:45.

Valor: 60 rands por adulto.

Museu Hector Pieterson

De fato, Soweto é um bairro que foi resistência em diversos momentos difíceis na história da África do Sul. Uma dessas ocasiões foi a manifestação de 16 de junho de 1976 contra o Apartheid que resultou na morte de Hector Pieterson, de 12 anos. Atualmente, celebra-se o “Dia da Juventude” na data em questão. 

Com o intuito de homenagear o menino e as outras vítimas da marcha, criou-se o Museu Hector Pieterson. Neste local, você encontrará artigos que contam a história de Soweto, fotos de Hector durante o conflito com policiais, frases, vídeos e documentos que relatam as dificuldades que a população negra enfrentou durante o regime.

Horário de Funcionamento: segunda a sábado, das 10h às 17h; domingo, das 10h às 16h30

Valor: 30 rands por adulto.

Orlando Towers

Ainda que o bairro seja conhecido por sua parte histórica e cultural, também existem passeios para apreciar a beleza de Joanesburgo. Por exemplo, você pode visitar a Orlando Towers e observar uma paisagem incrível.

Anteriormente, o local abrigava duas torres de energia, porém elas foram desativadas e se tornaram ponto turístico do bairro. A ideia era revitalizar o lugar, portanto houve incentivo para pinturas e esportes radicais. Portanto, além da maravilhosa vista, você pode se aventurar pulando de bungee jump no meio da ponte que conecta as duas torres.

Horário de Funcionamento: quinta, de 12h às 18h; sexta à domingo, das 10h às 18h;

Valor: 630 rands por adulto.

Onde se hospedar?

Para quem nunca visitou Joanesburgo, pode parecer uma boa ideia se hospedar em Soweto, já que existem várias atrações no bairro. No entanto, existem outros passeios espalhados pela cidade de JoBurg. Sendo assim, vale a pena se hospedar nos bairros centrais e separar um dia específico para explorar Soweto, já que o distrito fica um pouco mais afastado dos outros pontos turísticos. No nosso Guia Completo sobre Joanesburgo você encontra mais informações sobre bairros que valem a pena se hospedar.

Gostou de conhecer mais sobre Soweto? Compartilhe nosso artigo com um amigo que sonha em conhecer a África do Sul e sua cultura.

Joanesburgo

Joanesburgo: Guia Completo

Está planejando uma viagem para Joanesburgo? Então você não pode deixar de ler o nosso guia completo antes de embarcar nessa aventura. Saiba mais sobre os melhores passeios da cidade e confira dicas de onde se hospedar.

Abordaremos aqui:

O que é preciso para viajar?

Passagem e passaporte

Não podemos deixar de começar pelo principal: a passagem e o passaporte. Atualmente, por conta da covid-19, não existem voos diretos do Brasil para Joanesburgo. Até então, a Latam fazia esses voos e a expectativa é que retornem em breve. Enquanto isso não ocorre, você pode optar por comprar suas passagens com a Qatar, o embarque é feito em São Paulo, com escala em Doha e destino final em Joburg. Outras companhias que também atendem essa demanda são a  Swiss, Turkish Airlines e Ethiopian Airlines.

Itinerário Qatar – São Paulo x Joanesburgo

Após realizar a compra de passagem, é indispensável ter o comprovante de ida e volta na hora de embarcar. Esse documento é entregue ao passageiro assim que adquire o bilhete, seja de forma impressa ou via e-mail, e deve ser apresentado ao passar pela imigração.

Também é necessário ter em mãos o passaporte, ele precisa estar com validade de no mínimo um (1) mês e duas páginas em branco para o carimbo da imigração. Uma ótima notícia é que os brasileiros não precisam de visto para viagens de até 90 dias na África do Sul. 

Seguro viagem

Devido a covid-19, o seguro viagem passou a ser obrigatório para viajar à África do Sul. Dependendo de qual seguro for contratado, é possível ter acesso a assistência médica, reembolso em caso de extravio de mala, seguro de vida e muitos outros serviços. Por isso, cabe a você escolher aquele que vai atender aos seus objetivos. Pense na duração de sua estadia e os tipos de passeio que planeja fazer ao decidir.

Certificado Internacional de Vacinação (CIV)

O documento em questão comprova a vacinação de doenças. Para entrar na África do Sul, é exigido a apresentação do CIV contra febre amarela no momento do check-in. Você pode tomar a dose até 10 dias antes de realizar a viagem.

Então, solicite seu CIV pelo Portal de Serviços do Governo Federal, usando o RG e o comprovante da vacinação. Em até cinco dias úteis a Anvisa libera o cartão para ser impresso. 

Teste PCR

Para viajar não é exigido o teste PCR negativo para quem já se vacinou contra o coronavírus. Se você ainda não se vacinou precisa fazer o exame em até 72h antes do embarque do primeiro voo.

Quanto custa viajar para Joanesburgo?

O preço da viagem depende de alguns fatores como hospedagem, atrações e onde você planeja comer. Uma viagem econômica de três dias em Joanesburgo fica em torno de R$ 1500, incluindo acomodação e passeios. Já o mesmo período para uma viagem de luxo pode custar entre R$ 3000 e R$ 5000.

Como chegar?

Como já mencionamos, no momento não existem voos diretos partindo do Brasil para Joanesburgo. Por este motivo, recomendamos a Qatar, que possui uma parada em Doha e, dependendo do voo, em Cape Town também. Em geral, a duração da viagem pode variar entre 25 a 40 horas. Além disso, existem outras opções como a Swiss e Turkish Airlines.

A Swiss oferece o itinerário com apenas uma parada em Zurique. Quem optar pela Turkish Airline pode embarcar em São Paulo para Joanesburgo, existem voos com apenas uma escala em Istambul e/ou com duas, parando também em Cairo. 

Partindo de Cape Town para Joanesburgo

Para os turistas que já estão em terras sul-africanas, mais precisamente em Cape Town, existem diversos modos de chegar até Joanesburgo. Através do mapa, é possível notar que as duas cidades ficam longe uma da outra, são quase 1252.6 km de distância.

Então, para chegar a Joanesburgo partindo de Cape Town é recomendado pegar um voo. Algumas companhias que fazem esse trajeto são: a Safari, a Kulula, a Airlink, a British Airlines, a South African Airlines e a Comair. A duração da viagem é em média de 2 horas e o preço é em torno de ZAR 780.

Se você busca uma experiência diferenciada e não se incomoda com viagens longas, existe a possibilidade de pegar um trem. Diversas linhas ligam as cidades sul-africanas e um desses itinerários se desloca de Cape Town para Joanesburgo.

O trem é dividido em classe econômica, primeira classe e luxo (Blue Train). Nossa recomendação é que seja escolhido entre primeira classe e luxo. Afinal, o percurso leva em torno de 26 horas para ser percorrido. Para mais informações você pode acessar o site da Shosholoza Meyl, que opera esse tipo de transporte no país.

Como ir do aeroporto para o centro de Joanesburgo?

Existem várias opções para se deslocar do Aeroporto Internacional Oliver Tambo (ORTIA) até o centro de Joburg: trem, aplicativos de transporte ou traslados particulares. A primeira opção é é pegar o Gautrain. Essa é a forma mais prática e econômica, já que o veículo é um trem de alta velocidade. Seu horário de funcionamento é entre 03:30 e 20:30, diariamente. A frequência de trens é a cada 12 minutos nos horários de pico e um trem a cada 20 minutos fora do horário de pico. Nos finais de semana e feriados tem um trem partindo a cada 30 minutos.

Também é possível usar o uber ou bolt, ambos são aplicativos de carona, verifique o preço de cada um, pois eles podem variar entre si. Se você se sente confiante dirigindo na mão inglesa, ainda é possível alugar um carro e se deslocar de forma independente.

Por outro lado, para aqueles que desejam facilidade e conforto, recomendamos a contratação de um traslado, um dos meios de transporte que mais indicamos por conta do custo-benefício. 

Melhor época para conhecer Joanesburgo

Joanesburgo tem passeios incríveis o ano todo. A cidade possui um forte turismo urbano, sendo muito procurada por sua cultura e museus. Já para quem ama estar em contato com a natureza, existem safaris próximos e santuários de animais próximos da cidade. Em ambos os casos, é bom saber que o clima e a estação podem afetar o seu roteiro. Então separamos as melhores atrações de acordo com a época do ano.

Clima 

O verão em Joburg se caracteriza por temperaturas elevadas e invernos mais amenos e agradáveis, porém mais secos. Ao longo do ano, em geral, a temperatura varia de 6 °C a 30 °C. Lembra um pouco o clima de São Paulo, por isso é válido usar roupas meia estação durante o dia e levar sempre um casaco ao sair à noite.

Março a junho

Esse período compreende as estações de outono e o início do inverno. Por ser uma meia estação, as temperaturas são agradáveis e o momento é perfeito para curtir parques, museus e safáris. Além disso, esses meses são considerados de baixa temporada, sendo assim é mais fácil economizar.

Setembro a novembro

O intervalo de setembro a novembro abrange a primavera. As chuvas aparecem pouco, então é possível fazer passeios ao ar livre. O fluxo de visitantes é baixo, ou seja, é possível fazer uma viagem mais tranquila. 

Dezembro a março

Os meses de dezembro a março fazem parte da alta temporada. Turistas procuram essa época devido ao verão, em que o tempo é quente mas as chuvas são constantes. Tenha opções de alguns passeios em ambientes cobertos para esses dias.

Devido a alta procura, os preços neste período podem estar mais caros comparados ao restante do ano. É recomendável fazer um planejamento com os principais gastos. 

Onde se hospedar?

Rosebank Mall
Rosebank por Heather Manson

Escolher onde ficar não é uma tarefa fácil. É preciso pensar em conforto, segurança e nos custos no momento de decidir. Com base nisso, separamos três bairros que costumam agradar quem visita Joanesburgo.

Sandton

Sandton é conhecido por ser um bairro mais caro quando comparado aos padrões sul-africanos, mas ainda assim é um dos lugares mais procurados para se hospedar. É possível encontrar acomodações de bom custo-benefício, sendo também bem seguro já que suas ruas sempre são movimentadas. Lá você encontrará hotéis, restaurantes e o famoso Mandela Square, praça com estátua do Nelson Mandela. Aproveite para fazer suas compras, pois o Sandton é um centro comercial bem equipado. 

Rosebank

Rosebank fica próximo a Sandton. A área é um bairro residencial, mas possui um comércio bem desenvolvido. São diversas lojas, restaurantes, shoppings e opções de entretenimento. Outra vantagem é que a região fica próxima a uma estação do metrô Gautrain. Também é possível notar galerias de arte e manifestações culturais pelas ruas, o lugar está se tornando um centro cultural no país.

Melrose

Melrose fica localizado na parte central da cidade e é uma opção para quem gosta de um ambiente mais tranquilo. É lá que fica o Melrose Arch, um complexo de lazer que possui shopping, restaurantes, lojas e hotéis. O ambiente é bem acolhedor, sendo possível passear ao ar livre em seus arredores.

Quais atrações colocar no roteiro?

Ao decidir quais atrações quer visitar, pense em que tipo de passeio mais te atrai. Algumas pessoas priorizam a visitação de monumentos históricos, outras já gostam mais de aventuras em meio a natureza.

Felizmente, em Joburg existem ambas as possibilidades para agradar o gosto de qualquer turista. As atrações podem ser visitadas de forma independente, ou então, com a companhia de um guia (nossa recomendação para 90% das viagens).

Contratar um guia turístico pode fazer uma grande diferença na sua experiência, principalmente na África do Sul. Recomendamos esse tipo de atendimento para quem gosta de entender a história da região e quer ter um olhar mais profundo sobre a população que vive ali. Existem guias que falam em Português e Inglês em Joanesburgo, lembre-se disso quando buscar o serviço. 

Passeios Urbanos

Raymond June via Flickr

Apartheid Museum

O Museu do Apartheid, inaugurado em 2001, ilustra a ascensão e a queda do apartheid. Esse regime de segregação racial foi vigente no país durante 44 anos, como resultado muitas marcas foram deixadas na sociedade sul-africana. Ao visitar o local, visitantes conhecem um pouco da história e como a África do Sul está criando um futuro mais igualitário para seu povo.

Entrada: 150 rands.

Horário: Sexta a Domingo 09h às 17h.

Soweto

O bairro de Soweto é uma das áreas urbanas mais famosas de Joanesburgo e um dos principais símbolos do regime Apartheid. Lá você poderá saber um pouco mais sobre o que representou e representa ainda a luta pela igualdade racial na África do Sul.

Os principais pontos turísticos de Soweto são:  Mandela House, Memorial Hector Pieterson e Orlando Towers.

Mandela Square

A Mandela Square é uma praça ao ar livre, localizada em Sandton. O local é assim chamado devido ao monumento em homenagem a Nelson Mandela, símbolo do Apartheid, que existe dentro do complexo. Ali você encontra restaurantes e lojas, aproveite então para experimentar a culinária sul-africana e para escolher um souvenir para lembrar da viagem.

Entrada: gratuita.

Horário: Segunda a Sábado 09h às 19h; Domingo e feriados 09h às 18h.

Constitutional Hill 

O Constitution Hill é uma antiga prisão e forte militar que foi testemunha do passado turbulento no território sul-africano, hoje em dia, abriga o Tribunal Constitucional do país. O museu conta a história da democracia na África do Sul. Existem passeios diariamente pelo recinto e você pode explorar diferentes partes (Forte Antigo, Cadeia Feminina, etc).

Entrada: 75 rands para adultos; 35 rands para crianças.

Horário: Segunda a Domingo 09h às 15h.

Mandela House

A Mandela House fica na 8115 Orlando West, esquina das ruas Vilakazi e Ngakane, em Soweto. Ela foi construída em 1945, como parte de uma licitação da cidade de Joanesburgo para novas casas. Nelson Mandela se mudou para lá em 1946 com sua primeira esposa, Evelyn Ntoko Mase. Contudo, eles se divorciaram em 1957 e, a partir de 1958, ele se juntou à casa com sua segunda esposa, Nomzamo Winifred Madikizela (conhecida como Winnie). Atualmente, o local é patrimônio público.

Entrada: 60 rands para adultos; 20 rands para crianças.

Horário: Segunda a Domingo 09h às 16h45.

Orlando Towers

Ao visitar o bairro Soweto, não deixe de passar na Orlando Towers. O local possui um bungee jump incrível, free fall e também escalada. Garanto que vai amar observar o visual lá de cima.

Entrada: 630 rands para adultos.

Horário: Quinta de 12h até o pôr do sol; Sexta das 10h até o pôr do sol; Sábado e Domingo de 10h até pôr do sol.

Top of Africa

Esse passeio permite que turistas de todo o mundo conheçam Joanesburgo do alto. Essa atração fica no edifício Carlton Centre, mais precisamente do 50º andar do arranha-céu, quem topa encarar os 223 metros de altura consegue admirar a cidade de um ângulo inesquecível.

Entrada: 30 rands.

Horário: diariamente 8h às 19h.

Reservas animais

Elephant Sanctuary

O Santuário de Elefantes é uma experiência que permite aos seus visitantes conhecerem um dos maiores mamíferos terrestres do mundo: o elefante africano. O local fica a 80 km de Joanesburgo, portanto você poderá visitá-lo em um dia.

Durante o passeio você pode aprender mais sobre os animais e até tocá-los. A equipe do local é comprometida a usar métodos de treinamento com reforço positivo, sendo assim os elefantes ficam mais relaxados para interagir com as pessoas.

Entrada: 850 rands para adultos; 375 rands de 4 a 14 anos.

Horário: Segunda a Domingo 8h, 10h e 14h.

Ukutula Center

Ukutula está situado a uma hora de carro de Joanesburgo. A reserva possui 260 hectares de savana com uma variedade de espécies selvagens, incluindo predadores e antílopes, girafas, zebras e muito mais. O local preza pela conservação através do ecoturismo sustentável.

Entrada: 1250 rands para o Day Visitor Package.

Horário: Segunda a Domingo 8h às 16h.

Outros passeios

JNB - Estádio Soccer City
O Soccer City é ponto de parada obrigatória para os amantes de futebol

Estádio Soccer City

Se você se apaixonou pela África do Sul durante a Copa do Mundo de Futebol de 2010, então vai amar conhecer o Estádio FNB. Ele possui capacidade para abrigar 95.000 pessoas e foi palco da partida entre Brasil e Costa do Marfim, na primeira fase. É possível fazer visitas internas, mas para isso é necessário fazer uma reserva por email. Mesmo que você não curta o esporte, é válido tirar uma foto da parte externa do local. O formato do lugar foi inspirado em um tipo de cerâmica africana.

Balão

Se o seu sonho é contemplar as belezas naturais por um ângulo diferente, essa é a experiência perfeita. O passeio de balão acontece na região da savana conhecida como Berço da Humanidade, que fica a 30 minutos de Joanesburgo. A AirVentures oferece dois tipos de voos: o Clássico, a partir de 2670 rands, e o Safári, a partir de 2870 rands.

A duração do voo é de 3 a 4 horas e ao final ainda existe uma comemoração com espumante.

Rosebank Craft Market

O Rosebank Craft Market é um mercado que possui  diversos produtos artesanais. Lá você encontra os melhores souvenirs para presentear ou simplesmente guardar de lembrança da viagem. O que não falta são opções para você escolher: artefatos, esculturas e pinturas representativas da herança africana, e muito mais!

Endereço:Cradock Avenue, nº 2196, Rosebank.

Entrada: gratuita.

Horário: Segunda a Quinta 9h às 18h30; Sexta 9h às 19h; Sábado 9h às 17h; Domingo 9h às 17h.

Supermercados e Farmácias

É sempre bom conhecer as redes de supermercados e farmácias de um país quando estamos preparando uma viagem. Além de facilitar muito a vida de qualquer turista, esses locais possuem itens que podem ajudar a economizar na viagem.

Clicks e Dis-Chem Pharmacy

A Clicks é uma rede de mega farmácias bem famosa na África do Sul. Lá você encontra remédios, suplementos, itens de maquiagem e até utensílios para casa. A Dis-Chem Pharmacy também é uma boa opção, existem vários setores e certamente você encontrará o que procura.

Checkers, Pick’n’Pay, Spar e Wollworths

Essas são as redes mais famosas de supermercados do país. Quem se hospeda em Rosebank encontra facilmente os supermercados Chekers e Pick’n’Pay no Rosebank Mall. Existe uma Chekers Hyper bem grande em Sandton, será impossível não levar algo ao passar por lá.

Já os mercados da rede Spar ficam um pouco mais afastados dos bairros já mencionados. Em compensação, você pode encontrá-los próximo de algumas atrações, como a unidade Hillbrow SPAR que está localizada perto do Constitutional Hill.

Com o propósito de ser uma rede mais natural, o Wollworths é ótimo para quem está em busca de produtos orgânicos e roupas, essa é a melhor dica.

Restaurantes em Joanesburgo

Marble

Se você procura uma experiência mais sofisticada, a dica é visitar o Marble. Ele está localizado em Rosebank. Seu menu inclui carnes, frutos do mar, peixes e pratos vegetarianos também.

Preço: $$$$

San Deck

O San Deck fica localizado em Sandton e pode ser uma opção para aqueles que se hospedaram na região. Lá você tem garantida a experiência completa da culinária sul-africana. Além do menu impecável, o local possui uma vista linda e um bom espaço aberto para você desfrutar na companhia da família ou amigos.

Preço:$$$

Pappas on the Square

O Pappas on the Square é quase uma parada obrigatória para visitantes que passam pela Mandela Square. O restaurante oferece o melhor da comida grega e mediterrânea. E o melhor é que você ainda consegue observar a famosa estátua de Mandela enquanto faz sua refeição.

Preço:$$$

The Signature Restaurant

The Signature Restaurant oferece um menu requintado de almoço e jantar,bem como possui uma carta de vinhos locais e internacionais. Ele fica localizado no Sandton e pode ser uma boa pedida se você procura um lugar confortável.

Preço:$$$$

Flames (Four Seasons Hotel)

O Flames é um restaurante localizado no Four Seasons Hotel. Sem dúvida pode ser uma ótima pedida para o almoço ou um brunch, a vista é linda e o cardápio agrada a todos. Existem opção vegetarianas e veganas no menu.

Preço:$$$$

Wang Thai

O Wang Thai é um restaurante tailandes, lá você encontrará os clássicos dessa culinária e também pratos especiais produzidos pelo Chef. O melhor de tudo é que ele fica na Mandela Square, aproveite para comer lá quando visitar esse ponto turístico.

Preço:$$$

Dw Eleven 13

Certamente o Dw Eleven 13 oferece a seus visitantes uma experiência única, o restaurante é conhecido por sua culinária experimental e se orgulha por criar sabores distintos. 

Preço:$$$$

Cube Tasting Kitchen

Localizado em um dos bairros mais descolados de Joburg, o Cube Tasting Kitchen possui uma cozinha aberta onde o visitante pode interagir com os Chefs do local. Ao passar por Maboneng não deixe de conferir! Existem diferentes opções vegetarianas no cardápio.

Preço:$$$$

Mozambik

O Mozambik é uma franquia de restaurantes com comida típica africana. Se você gosta de pratos com frango e carne, vai amar essa opção. Além disso, o serviço de café da manhã está disponível e pode ser uma boa escolha para levar toda a família.

Preço:$$$

Próxima parada: Joanesburgo

Aposto que depois do nosso artigo você não vê a hora de embarcar para Joanesburgo. Comenta aqui qual  destino não vai faltar no seu roteiro! E se preferir ter um roteiro personalizado, nossa especialista em África do Sul pode te ajudar! 

Pra saber mais, é só agendar um bate papo gratuito!

Cape Town - África do Sul

África do Sul: um Guia Completo para sua viagem

Nos últimos anos, a África do Sul tem se tornado um destino de viagem muito cobiçado! Cada vez mais turistas brasileiros são atraídos pelas belezas naturais, safáris, vinícolas, grandes centros urbanos e a rica cultura que abrange o lugar.

Localizado no extremo sul do continente africano, o país conta com uma população de aproximadamente 58 milhões de pessoas e possui um território de 1.220.000 km². A história regada de colonização e miscigenação de diferentes povos, explica a existência de 11 idiomas oficiais, dentre elas, o Inglês, língua mais falada com os turistas que visitam o país.

Além das várias  línguas, temos as diversas religiões. É possível encontrar o cristianismo, hinduísmo, islamismo e práticas de antigos povos. Outra particularidade da África do Sul é que o país possui três capitais, essa divisão ocorreu para que cada cidade fosse sede de um dos três poderes: Cape Town (Cidade do Cabo), capital do legislativo; Pretória, do judiciário, e Bloemfontein, do executivo. Confuso né? rs

E atenção, a moeda oficial do país é o Rand, representado com R ou ZAR antes do número, exemplo R100 ou ZAR100. Você pode comprá-lo em casas de câmbio no Brasil ou também levar dinheiro estrangeiro, como dólar ou euro, e fazer a conversão já no destino. Logo, a melhor opção dependerá do seu estilo, nós sempre recomendamos levar rands já trocados e um cartão carregado em dólares para saque em moeda local.

África do Sul: o que vamos abordar aqui:

O que é necessário para viajar

Passagem

Onde comprar as passagens? Anteriormente, a única companhia aérea que fazia o percurso entre Brasil e África do Sul, era a Latam, voando de São Paulo a Joanesburgo. Contudo, com a pandemia da covid-19, esses voos foram pausados ainda sem data de retorno. É preciso ficar de olho nas possíveis mudanças e aguardar em breve a volta desta rota.

Outras opções são os voos feitos pelas companhias KLM, Emirates, Turkish, Air France e British, com conexões em seus aeroportos-base, tornando  o voo um pouco mais longo. Mas é uma possibilidade para aqueles que não desejam esperar mais um minuto para visitar esse país encantador. 

A TAAG (Linhas aéreas Angolanas) também é uma possível escolha, o embarque pode ser feito no Rio de Janeiro ou São Paulo, com escala em Luanda e destino final na Cidade do Cabo ou Joanesburgo. Uma vantagem é que a companhia oferece preços mais baratos e sempre possui promoções.

Precisa de visto?

Os brasileiros que pretendem permanecer por até 90 dias na África do Sul não necessitam de visto para entrar. Essas regras valem para turismo e reuniões de negócios. Antes de mais nada, vale lembrar que o passaporte deve ter validade mínima de um (1) mês após a data de retorno ao Brasil e duas páginas em branco.

Seguro viagem

O seguro viagem passou a ser obrigatório devido a covid-19. Portanto ele precisa cobrir internação no caso de contágio da doença. Assim, existe a garantia de uma viagem mais tranquila e sem imprevistos. 

O seguro cobre qualquer custo e perda que possa ocorrer durante a viagem, desde o momento do embarque, até a volta para casa. Nesse sentido, a cobertura dependerá de qual plano o viajante escolher. Por exemplo, alguns serviços incluem: malas extraviadas, cancelamento de voos, despesas médicas, seguro de vida, perda de documentos, etc.

Antes de fechar um seguro, faça uma boa pesquisa para contratar o serviço que possa atender suas demandas e preços.

Certificado Internacional de Vacinação (CIV)

O Certificado Internacional de Vacinação é o documento que comprova a vacinação contra doenças. Alguns países exigem o documento para a entrada em seus territórios.

Para a viagem à África do Sul é necessário a apresentação do CIV contra febre amarela. A dose integral da vacina pode ser tomada até 10 dias antes do embarque. Ao se vacinar em uma unidade básica de saúde (SUS) ou clínica particular, guarde o comprovante da vacinação para pedir o certificado.

A solicitação do documento é feita no Portal de Serviços do Governo Federal, para isso é preciso o RG e o comprovante da vacinação. Em seguida, a Anvisa faz uma análise no decorrer de cinco dias úteis e o cartão está liberado para ser impresso. Lembrando que o comprovante é pedido no momento do check in no Brasil.

Outro CIV que provavelmente será requisitado no futuro próximo é o da covid-19. 

Teste PCR: para viajar também é exigido o teste PCR negativo para o coronavírus, o exame deve ser realizado até 72h antes do embarque do primeiro voo.

Comprovante da compra passagens de ida e volta

Com as passagens compradas, evite possíveis problemas ao passar pela Imigração e não esqueça de ter em mãos o comprovante das passagens de ida e volta. 

Logo após a efetuação da compra , o comprovante é dado ao passageiro e pode ser entregue via email ou em mãos, dependendo de como foi feita a compra.

O documento possui todas as informações: valor total em moeda nacional, regras de não apresentação para o embarque ou remarcação, tempo de conexão e eventual troca de aeroportos, regras e valores do transporte de bagagem, nome e sobrenome do passageiro, hora e data do voo, além de conter o código localizador da passagem.

Quanto custa viajar para a África do Sul?

Uma das principais dúvidas que surgem quando estamos planejando uma viagem é o seu custo. Considere os passeios que você quer fazer e também seu orçamento disponível na hora de calcular.

Viagem Econômica

Uma viagem econômica é possível, uma dica é procurar passeios gratuitos e também pesquisar muito bem a sua hospedagem. Dessa forma, o preço médio para duas pessoas passarem cinco noites em Cape Town, duas noites no Kruger e mais duas em Joanesburgo é de 12 mil reais. Esse valor não inclui as passagens.

Viagem Luxo

Para quem está disposto a investir um pouco mais, as opções de acomodação e experiências gastronômicas são tentadoras. O preço médio para duas pessoas passarem cinco noites em Cape Town, duas noites no Kruger e mais duas em Joanesburgo é de 30 mil reais. Esse valor não inclui as passagens.

O que fazer na África do Sul

Ponto Turístico Mandela Square

Joanesburgo

Joanesburgo, ou Johannesburg (em Inglês), é considerada a maior cidade sul-africana. São mais de 6 milhões de habitantes vivendo na região, que é vasta em história, cultura e paisagens incríveis.

O destino é parada primordial para quem busca se inteirar do passado da África do Sul, afinal, foi ali que o se instaurou o regime de segregação racial chamado Apartheid, que durou quase 50 anos. 

Atualmente, existem museus, como o do Apartheid, que contam essa história e os impactos causados na sociedade que, apesar de muito ter evoluído, ainda sofre com resquícios do passado.

Jozi, ou Joburg, como é carinhosamente apelidada a cidade, também foi lar de Nelson Mandela. O ativista e preso político foi o primeiro presidente negro pós Apartheid, acima de tudo deixou um legado de representatividade e liderança. No presente, sua casa localizada no bairro Soweto, se tornou um ponto turístico que reúne fotos, documentos e objetos pessoais. Visitar Soweto é viajar pela história do país, que inclui uma cultura enriquecedora e uma população muito receptiva. 

Onde comer

Bateu aquela fome e não sabe onde comer? Joanesburgo tem opções que agradam qualquer tipo de visitante: você pode cozinhar ou então aproveitar a culinária local dos restaurantes.

Mercados

Para quem gosta de abastecer a geladeira durante a viagem existem as famosas redes de supermercado Checkers, Pick’n’Pay ou Spar. Outra dica é a Wollworths, a rede conta com artigos mais naturais – você encontra produtos orgânicos e até mesmo roupas de qualidade. 

Restaurantes

E nada melhor do que vivenciar a experiência gastronômica de outro país. Em Joanesburgo, você encontra restaurantes variados. 

Para os amantes de carnes que se hospedarem no bairro Rosebank o Marble Restaurant é o lugar certo. Ali perto, no bairro Dunkeld West, também é possível se deliciar no Dw Eleven 13.

Ao visitar a Mandela Square, em primeiro lugar você pode fazer uma parada no Pappas on the Square e desfrutar o melhor da culinária mediterrânea tendo como vista a estátua de Mandela. Ainda no local, você pode optar por comer carne na grelha no Trumps Grillhouse, recomendamos também dar uma olhada no cardápio de vinhos. E, se você não dispensa uma comidinha Thai, vai se deliciar no Wang Thai.

Em Sandton, a dica é o Signature Restaurant, uma boa pedida aos que procuram uma combinação de flexibilidade, conforto, sofisticação e design. 

Já no Linksfield, o destaque é o Mozambik, uma franquia de restaurantes com comida típica africana. O cardápio é em sua maioria composto de frango e carne, mas não se preocupe pois eles também possuem alguns pratos vegetarianos.

Se você deseja aproveitar um vinho e uma bela vista, então vai gostar de  conhecer o Flames localizado no Four Seasons Hotel. Fechando a lista temos o Cube Tasting Kitchen, ele fica em Maboneng e oferece um menu que mescla estilos de cozinha clássicos e modernos

É indicado fazer reserva em alguns dos restaurantes aqui mencionados devido às medidas de restrições da covid-19, além de verificar horários e dias que está permitido a abertura. Confira os sites e cardápios aqui: Marble Restaurantsite oficial;Dw eleven 13site oficial; Pappas on the Squaresite oficial; Trumps Grillhouse and Butcherysite oficial; Wang Thai site oficial; Signature Restaurantsite oficial; Mozambiksite oficial; Flamessite oficial; Cube Tasting Kitchensite oficial.

Onde ficar

Joanesburgo é a maior cidade da África do Sul, então pode parecer uma tarefa difícil decidir onde se hospedar com tantos bairros e opções, porém esse guia pode ajudar nessa escolha.

Sandton

Um dos bairros mais procurados por brasileiros. É um pouco mais caro, porém possui uma ótima localização para quem deseja conhecer a cidade sem precisar de carro. Além disso, seus arredores possuem shoppings, hotéis e restaurantes. Vale falar que a estação do Gautrain, metrô expresso que leva até o aeroporto, está situada na região. 

Melrose

Outro bairro que possui uma ótima localização é o Melrose. Aliás, é lá que fica o famoso complexo privado chamado Melrose Arch contemplando hotéis, shoppings, bares, lojinhas, e restaurantes. Por último, ainda é possível aproveitar a vida noturna do local com conforto e segurança.

Rosebank

Este bairro fica ao lado do Melrose e tem um estilo mais residencial, mas possui um bom centro comercial. Existem menos opções de hotéis e os preços são mais altos. Também fica próximo da estação do metrô Gautrain.

Randburg

Localizado próximo ao Lion Park, este bairro é um pouco mais afastado e pode ser uma ótima escolha por seu ambiente tranquilo e preços acessíveis. Existem restaurantes e shoppings nos arredores.

Vida Noturna

Joanesburgo possui várias casas noturnas, restaurantes e bares para você aproveitar sua noite na cidade. Que tal conferir algumas delas?

Em Rosebank, você pode aproveitar o restrô-bar Katzy’s que oferece um cardápio completo com frutos do mar, carnes e opções vegetarianas. Tudo isso acompanhado por música ao vivo e um ambiente aconchegante.

Outra dica é o The Baron, espalhado por diversos bairros em Joburg, é uma ótima escolha para um happy hour. Experimente as cervejas e drinks, você não vai se arrepender.

Se sua hospedagem for perto de Melville, vale conferir a Hell’s Kitchen, um bar inspirado na Nova Iorque dos anos 20. O ambiente é todo decorado num estilo bem retrô, além de ter como trilha sonora jazz e rock.

Agora, se você procura uma noite mais agitada e quer dançar bastante, seu lugar é na Great Dane. Localizada no Braamfontein, a casa noturna se destaca por sua pista de dança, boa música e bebidas variadas.

É indicado verificar os dias e horários de abertura dos bares. Devido às medidas de restrições da covid-19, é provável que esses locais estejam fechados dependendo dos protocolos vigentes. 

Confira os sites e mais informações aqui: Katzy’ssite oficial; The Baronsite oficial; Hell’s Kitchensite oficial; Great Danefacebook.

Museus

Apartheid Museum
Acervo do Apartheid Museum

Na sua estadia em Joanesburgo não deixe de conferir os Museus que estão espalhados pela cidade. Não podem faltar na sua lista os três mais famosos:

Constitutional Hill

O museu retrata a jornada da África do Sul rumo à democracia. Anteriormente, o local era uma antiga prisão e forte militar e, hoje, abriga o Tribunal Constitucional do país, que apoia os direitos de todos os cidadãos. 

Horário de Funcionamento: segunda a domingo, de 9h às 17h, e nos feriados de Good Friday, Natal e 01 de janeiro o local fecha.

Valor: 100 rands por adulto.

Mandela House

A casa de Mandela é um dos pontos turísticos mais procurados por quem visita Joanesburgo. Ela fica em Soweto e foi construída em 1945. A princípio, Nelson Mandela se mudou para o lugar em 1946, acompanhado pela esposa e seu filho mais velho. Alguns anos se passaram e, em 1957, ele se divorciou e viveu ali com a nova esposa, Winnie. Repleto de quadros, fotografias, móveis e vários artigos pessoais, o local nos transporta para o passado de um dos grandes líderes da África do Sul.

Horário de Funcionamento: segunda a domingo, de 9h às 16:45.

Valor: 60 rands por adulto.

Apartheid Museum

O Museu do Apartheid trás muitas relfexões sobre o sistema de segregação racial que esteve presente no país de 1948 até 1994. O acervo possui fotografias, filmes e artefatos antigos que ajudam a contar a história deste triste período. Em contraste, muitas mudanças ocorreram com o fim do regime. Sendo assim, a criação desse museu ajuda a entender que devemos repensar o passado para garantir um futuro totalmente diferente.

Horário de Funcionamento: segunda a domingo, de 9h às 17h, e nos feriados de Good Friday, Natal e 01 de janeiro o local fecha.

Valor: 100 rands por adulto.

Região do Kruger

A região do Kruger é a maior área protegida de fauna típica da região, ao visitá-la é bem provável que você veja todos os Big 5 (leão, elefante, búfalo, leopardo e rinoceronte). A área é gigantesca e tem como foco a preservação.

Como chegar

Existem três maneiras de chegar à região do Kruger saindo de Joanesburgo. A reserva fica localizada a 420km da cidade, onde desembarcam os voos com saída do Brasil, sendo assim é mais prático partir de lá para o destino em questão.

Aluguel de carro

O Kruger fica a seis horas de carro saindo de Joanesburgo pela rota mais rápida, as rodovias N12 e N4. Por outro lado, uma alternativa mais longa para quem quer aproveitar mais o país é percorrer a “Rota Panorâmica”, na província de Mpumalanga, que pode durar cerca de 12h. No caminho, há o cânion do Rio Blyde, o mirante God’s Window, a formação rochosa Bourke’s Luck Potholes e a rocha Pinnacle.

Voo 

Assim como também existe a possibilidade de pegar um avião. Os aeroportos de Nelspruit, Hoedspruit e Skukuza ficam nas proximidades do parque e recebem voos diários saindo de Joanesburgo, Cidade do Cabo e Durban. Como os aviões são de pequeno porte, é bom ter atenção na hora de comprar a passagem porque a franquia de bagagem normalmente é bem restrita.

Traslado do hotel ou lodge

A última opção é reservar um traslado da sua acomodação de Johannesburg ao lodge na região do Kruger. 

Tipos de Hospedagem

A hospedagem pode ser feita dentro do parque nacional, porém existem algumas regras por se tratar de uma área de preservação. Por exemplo, o self-drive dentro do parque é permitido apenas na estrada de asfalto durante os horários de abertura, geralmente ele fecha às 18h. Os safáris são feitos com guias profissionais, sendo o off-road realizado apenas nos arredores das acomodações (para quem se hospeda nelas). Os locais podem funcionar em sistema meia pensão (café da manhã e almoço), pensão completa ou all inclusive. Lembre de fazer reserva antecipada.

Também existe a possibilidade de se hospedar em reservas privadas, elas ficam nos arredores do parque nacional e fazem parte do mesmo bioma. As propriedades que fazem fronteira com o Kruger não possuem cercas, permitindo que os animais circulem livremente. Todos os safáris são feitos com guias e rangers profissionais. Os lodges funcionam no sistema de pensão completa (três refeições e dois safáris por dia) ou all inclusive. Além disso, os veículos podem fazer safári off-road, sendo assim podem entrar na mata e se aproximar dos animais.

Cape Town

Table Mountain
Vista da Table Mountain

Cape Town é uma cidade que desperta a curiosidade de turistas ao redor do mundo. Principalmente por sua versatilidade, já que isso permite que ela se encaixe em roteiros mais urbanos e também nos programas aventureiros com trilhas e muita natureza.

A cidade sul-africana é uma das três capitais que existem no país, foi fundada em 1682 por holandeses e possui uma cultura extremamente rica. Sendo um lugar tão singular, é procurado por aqueles que desejam se aventurar nas alturas da Table Mountain, e no litoral do Cabo da Boa Esperança.

Além disso, outro detalhe é que o passado da cidade pode ser revisitado em passeios históricos. Existem barcos que vão até a Robben Island, ilha na qual Nelson Mandela ficou preso durante 18 anos, e diversos museus para explorar em sua estadia. Sem falar da culinária que é excelente, os sabores costumam agradar demais os brasileiros, e podem ser acompanhados pelos melhores vinhos do país. E aí, ficou com vontade de visitar?

Onde comer

Um planejamento completo de viagem inclui também as refeições, por isso, você pode definir quais restaurantes e mercados visitar com nosso guia.

Mercados

Não faltam alternativas para quem estiver no Waterfront, além de restaurantes, o local possui mercados gastronômicos completos para atender visitantes e população. O Food Market Waterfront é uma ótima opção para os finais de semana e dias de compras no Watershed, ficando aberto todos os dias. Já o City Farm Market é o preferido de quem adora comidas orgânicas, mas seu funcionamento é apenas nos fins de semana.

Caso resolva andar pela orla de Sea Point, aproveite para passar no Mojo Market. É possível encontrar todos os tipos de comida e de bebidas, se der sorte até mesmo escutar uma boa música ao vivo. 

Restaurantes

Partindo para os restaurantes, a dica é conhecer o Sevruga, uma vez que seu ambiente intimista é perfeito para um primeiro jantar na cidade. Ainda no Waterfront, você pode degustar deliciosos peixes típicos no Harbour House Restaurant, como o King Klip Fish e Grilled Cape Grayfish.

O restaurante do hotel Twelve Apostles fica aberto ao público e impressiona por sua vista inesquecível. Você pode ainda aproveitar o High Tea no final da tarde, ou se preferir, fazer um piquenique romântico.

Uma sugestão diferenciada é o Moyo, que fica localizado no Jardim Botânico de Kirstenbosch e possui uma vista deslumbrante.

É indicado fazer reserva em alguns dos restaurantes aqui mencionados devido às medidas de restrições da covid-19, além de verificar horários e dias que está permitido a abertura. 

Confira os sites e cardápios aqui: Food Market Waterfront site oficial; City Farm Marketsite oficial; Sevrugasite oficial; Harbour House Restaurantsite oficial; Twelve Apostles site oficial; Mojo Marketsite oficial; Moyosite oficial.

Onde ficar

Waterfront
Waterfront de Cape Town

Cape Town é uma cidade que agrada a todos os gostos. Você encontra desde hotéis a preços acessíveis até as mais luxuosas hospedagens. Que tal decidir com a gente onde vai ficar?

Waterfront

O Waterfront é um dos cartões postais de Cape Town. O porto é rodeado por shoppings, restaurantes, roda-gigante, artesanato, aquário, supermercado… Enfim, de tudo um pouco. Você sempre vai ter o que fazer caso se hospede por lá.

Os hotéis mais requintados estão na região e eles possuem uma vista de tirar o fôlego, com a Table Mountain de plano de fundo. Como você já deve imaginar, os preços são mais elevados nessa área. Ainda que você não reserve um hotel no local, lembre que o Waterfront é parada obrigatória.

Green Point

O bairro fica logo ao lado do Waterfront. Bem prático e conveniente, é a região para aqueles que buscam algo com ótimo custo-benefício. Em resumo, lá você encontra bares, pizzarias, hamburguerias, restaurantes, padarias e até boates.

Durante a Copa do Mundo de 2010, o bairro passou por melhorias e toda a sua estrutura mudou bastante. Se você é fã de futebol é capaz de reconhecer o Cape Town Stadium que fica localizado na região. 

Outra característica é que Green Point é conhecido por ser receptivo à comunidade LGBT e tem diversos estabelecimentos direcionados para este público.

As opções de hospedagem incluem hotéis de três a cinco estrelas, bed and breakfasts, hostels e apartamentos para aluguel.

Sea Point

Para quem procura por uma vibe mais tranquila e gosta de aproveitar o dia, Sea Point é o melhor lugar para ficar em Cape Town. O clima praiano e a bela paisagem são convidativos para uma caminhada na orla. Além disso, o bairro é um dos mais povoados da cidade e é super desenvolvido. Não vai faltar cenário para o álbum de fotos da viagem.

Camps Bay

Camps Bay é sinônimo de luxo e agitação. O local ficou conhecido por suas mansões e estilo de vida glamuroso. O bairro é repleto de restaurantes, praias, pessoas estilosas e uma vida noturna bem badalada. É possível até mesmo esbarrar em algum artista ou celebridade enquanto frequenta bares e restaurantes.

Tanto requinte custa um pouco mais no bolso de quem visita Cape Town, principalmente para os que optam por hotéis luxuosos. Já aqueles que querem curtir a região economizando, uma boa escolha são os hostels e pousadas.

Região de Gardens

Uma região mais para dentro da cidade, abraçada pela Table Mountain, o Gardens é um bairro bem familiar e gostoso. Lá há muitas opções de apartamentos, hotéis e hostels. A Kloof Street percorre o bairro e é cheia de restaurantes e atrações gostosas. Além disso, ela também desemboca na famosa Long Street, uma das ruas mais famosas da cidade. 

City Bowl

O centro da cidade é uma região mais movimentada durante o dia e um pouco mais calma à noite. É onde o business da cidade acontece. Há opções interessantes também para hospedagem. Vale lembrar que tudo depende do tipo de viajante que você é. Por este motivo, gostamos tanto da nossa assessoria de viagem, pois tratamos cada cliente de acordo com o seu perfil. 

Vida Noturna

Ficou com vontade de aproveitar um barzinho ou sair para ouvir uma boa música? Cape Town tem atrações imperdíveis para quem busca uma noitada divertida.

Decerto os bares mais queridinhos da cidade ficam na Long Street, lá você encontra a Beerhouse que é uma atração por si só: contendo 99 tipos de cerveja no menu, não vai faltar opção para sua noite. Já para os amantes de drinques, o Tiger’s Milk possui uma variedade que vai agradar com toda certeza, além de burgers e pizza para acompanhar (há também uma filial na Kloof Street que é maior que o da Long Street).

Antes de mais nada, um bar que não pode ficar de fora de sua lista é o The Village Idiot, localizado na Loop Street ele possui um menu que contempla a culinária sul-africana e um ambiente agradável para sua noite. 

Por outro lado, quem quer mergulhar num sabor japonês pode comer no Tjing Tjing House, que fica na Longmarket St em um edifício histórico de 200 anos e foi repaginado para abrigar o estabelecimento.

Na Kloof Street, seu ponto de parada é no Yours Truly que concentra uma galera jovem, bons papos e drinques. Mas se o clima da noite pede um restaurante, é possível aproveitar o Asoka, com boa música e pratos que foram pensados em torno dos 5 elementos (terra, água, vento, fogo e nirvana).

Ao passar por Camps Bay não deixe de ir no Café Caprice. O cardápio inclui opções veganas, hambúrgueres e drinques variados. 

Confira os sites e mais informações aqui: Beerhousesite oficial; Tiger’s Drinksite oficial; The Village Idiotsite oficial; Tjing Tjingsite oficial; Yours Trulyinstagram; Asoka –  site oficial; CafeCapricesite oficial;

Museus

Como já falamos anteriormente, a cultura sul-africana é grandiosa, pra conhecê-la, não deixe de visitar os museus de Cape Town durante a sua permanência.

District Six

O museu retrata a história do antigo bairro portuário, Distrito Seis, habitado por uma comunidade étnica e culturalmente diversificada. Em 11 de fevereiro de 1966, o governo declarou a região como uma área exclusiva para brancos, devido à Lei das Áreas de Agrupamento. Logo após o decreto, o bairro foi “achatado” e os moradores removidos.

Então, o espaço foi criado para lembrar e refletir sobre a resistência e representação dessa comunidade durante o apartheid. Atualmente, os antigos residentes do bairro fazem visitas guiadas nas quais contam sobre suas vivências e as mudanças que ali ocorreram. 

Horário de Funcionamento: segunda a sábado, de 9h às 16h.

Valor: 30 rands por pessoa (visitas auto-guiadas) ou 55 rands por pessoa (com guia). Mais informações no site oficial.

Castle of Good Hope

O Castelo da Boa Esperança é o edifício mais antigo do país. Não só suas paredes abrigam pinturas históricas e mobílias da época colonial, mas também de diversos artefatos preservados. Quem visita o local tem acesso ao Castle Military Museum e ao William Fehr Collection.

Durante a Segunda Guerra dos Bôeres (1899-1902), parte do castelo foi usada como prisão, quem vai até o museu pode conferir de perto as celas que ainda permanecem no local. Bem como, observar a parte da exposição que traz curiosidades e fatos sobre os séculos XVI a XIX, marcados por guerras e a conexão militar com portugueses, Khoi, holandeses e ingleses.

Horário de Funcionamento: segunda a domingo, de 9h às 16h.

Valor: 50 rands por adulto, crianças pagam meia. Mais informações no site oficial.

Iziko South African Museum

Se você estiver com um bom tempo para apreciar o museu Iziko South African eu garanto que vai sair de lá maravilhado. Com mais de 1,5 milhão de itens de importância cultural e científica, o lugar possui fósseis e ferramentas da Idade da Pedra em exibição. Não só isto, mas também é possível apreciar esqueletos gigantes de baleias, leões taxidermizados e a história de Darwin no Cabo.

Horário de Funcionamento: terça a domingo, de 10h às 11:30 e 12:30 Às14h.

Valor: 30 rands por adulto; 15 rands de 6 até 17 anos; 5 rands para crianças menores de 6 anos. Mais informações no site oficial.

Zeitz Mocaa

O Zeitz é o maior museu de arte contemporânea do continente africano, foi inaugurado em 2017 e já virou destino obrigatório de quem visita Cape Town. O local, que era um silo de grãos no passado, hoje em dia dispõe de várias galerias espalhadas por seus nove andares.

Você pode curtir tanto as exibições temporárias quanto as coleções permanentes. As mostras englobam áreas de moda, fotografia, práticas performáticas e Moving Image. Logo depois aproveite também para passar no Silo Hotel e tomar um drinque, ele fica no mesmo complexo do museu.

Horário de Funcionamento: quinta a domingo, de 10h às 16h.

Valor: 210 rands por adulto. Mais informações no site oficial.

Litoral e Praias

Litoral Sul-africano

Sendo banhada pelos Oceanos Atlântico e Índico, já era de se esperar que Cape Town possuísse um belo litoral. Ainda assim, o local surpreende pela bela Península do Cabo, ela pode ser visitada num dia só e inclui três passeios: Muizenberg, Boulders Beach e Chapman’s Peak Drive. Anote as praias que não podem ficar de fora da sua viagem.

Península do Cabo

Muizenberg

Saia cedo de Cape Town e siga pela rodovia M3 até Muizenberg. Certamente você logo vai reconhecer o local por suas casinhas coloridas. Conhecidas como “bathing houses”, elas servem de vestiários e são extremamente fotogênicas.

De fato, a área é point de surfistas e outros praticantes de esportes aquáticos. Caso você não tenha perfil atlético, pode aproveitar a brisa e o lindo horizonte.

Boulders Beach (Praia dos Pinguins)

Conhecida como praia dos pinguins, a Boulders Beach é uma atração que desperta o sentimento de fofura em seus visitantes. As aves são as estrelas do lugar, então, prepare a sua câmera para tirar várias fotos dos animais. 

O local fica no caminho para Simon’s Town, contando com duas praias às quais você pode ter acesso mediante a compra do ingresso no Boulders Visitor Centre. 

Horário de Funcionamento:  de dezembro a janeiro – das 7h às 19h30; fevereiro a abril – das 8h às 18h30; de maio a setembro – das 8h às 17h; de outubro a novembro – das 8h às 18h30.

Valor: 170 rands por adulto, crianças pagam meia.

Chapman’s Peak Drive

A Chapman’s Peak Drive é uma das estradas mais bonitas do mundo. Ela demorou 7 anos para ser finalizada, em 1922, e fica aos pés da montanha de mesmo nome. Só para ilustrar são 114 curvas e 9km para percorrer. É impossível não se encantar com o infinito azul logo ao lado.

Cliffon Beach

A praia é dividida em quatro partes, chamadas Clifton 1, 2, 3 e 4. Elas são separadas por porções de pedras e cada uma possui características próprias, atraindo públicos bem específicos.

A primeira praia é mais tranquila e pode ser o lugar perfeito para fugir da multidão. Em contrapartida, a segunda é bastante frequentada por famílias e estudantes, os banhistas mais animados gostam de jogar vôlei e frisbee. A terceira é conhecida por ser amada pelo público LGBT e a quarta é a mais popular dentre todas. 

Hout Bay

O subúrbio costeiro da Cidade do Cabo atrai visitantes por suas águas calmas, restaurantes, praias e passeios incríveis. Eventualmente os barcos saem do local para visitar a Seal Island (ilha das focas), o trajeto leva cerca de 20 minutos de navegação e é possível ver as focas tomando sol.

Se você adora um mercado com variedade de artesanatos e comidinhas orgânicas, pode dar uma caminhada até o Bay Harbour Marker (sexta das 17:00 às 20:30, sábado e domingo das 17:00 às 21:30)  – e, dependendo do dia, ainda pode aproveitar uma música ao vivo. 

Para quem deseja conhecer, a baía fica a 25 minutos de carro do centro de Cape Town.

Bay Harbour Market – site oficial

Atrações que não podem ficar de fora do roteiro:

Table Mountain

A Table Mountain é um dos pontos mais famosos de Cape Town. É a atração mais fotografada pelos que ali passam e considerada uma das 7 maravilhas da natureza. São mais de duas mil espécies botânicas existentes e uma paisagem sublime que justifica o título.

Você pode ter acesso ao local através do bondinho (Cable Car) ou das trilhas. Existem duas opções mais usadas pelos turistas: a Trilha Platteklip Gorge e a Trilha Skeleton Gorge. Se acaso optar por fazer hiking, recomendamos que faça na companhia de um guia profissional, e não esqueça de levar água, protetor solar, roupas e calçados confortáveis. Lembrando que a subida pode durar em torno de 2 a 3 horas de caminhada. 

Antes de tudo, para embarcar na aventura, verifique se as condições climáticas são favoráveis. Existe o monitoramento em tempo real e você pode conferir pelo site oficial, clicando aqui. Caso opte pelo bondinho, recomendamos que compre o ingresso online para evitar filas.

Horário de funcionamento: segunda à domingo, das 8h às 20h.

Valor: 380 (ida e volta até às 13h) ou 300 rands (ida e volta após 13h) por adulto; Criança paga meia.

Cabo da Boa Esperança

O lugar pertence ao Table Mountain National Park. Dentro do parque você encontra a famosa placa indicando que aquele é o ponto mais extremo do sudoeste do continente africano. São várias as possibilidades de passeios, alguns pontos tem mergulho e até áreas para fazer piquenique. O ponto alto fica com o mirante de Cape Point, de lá você pode admirar os penhascos e o mar. 

Geralmente este passeio acontece no mesmo percurso da praia de Muizenberg, Boulders Beach, passando por Cape Point e Chapman’s Peak Drive. 

Horário de Funcionamento: de outubro a março – 9h Às 18h; abril a setembro – 7h às 17h.

Valor: 340 rands e meia para crianças.

Trilha Lion’s Head

A montanha Lion’s Head se localiza entre a Table Mountain e o Signal Hill. Ela é assim chamada porque (dizem que) seu topo tem o formato de uma cabeça de leão. Com uma trilha de nível intermediário, é uma excelente opção para quem quer entrar em contato com a natureza. 

Diferentemente da Table Mountain, que possui um bondinho, o topo do Lion’s Head só pode ser acessado a pé. Seus 5 km de extensão (ida e volta) podem ser percorridos em torno de 2 horas.

Independentemente do horário de visita, garantimos que será um momento inesquecível.

Pôr do sol em Signal Hill

Outro programa maravilhoso para fazer em Cape Town é assistir ao pôr do sol em Signal Hill. A bela montanha possui uma localização de fácil acesso e é uma atração gratuita. Para chegar lá, você pode usar um carro, contudo vale mencionar que o estacionamento é pequeno e que o lugar quase sempre lota, então talvez seja melhor ir de Uber ou Bolt.

Aliás, não esqueça de levar um lanchinho e o vinho, assim como uma máquina fotográfica para aproveitar esse momento.

Bo Kaap

O bairro muçulmano de Bo Kaap é conhecido por suas marcantes casas coloridas. Quem visita o local pode aproveitar para caminhar pelas ruas, enquanto bate muitas fotos e conhece as lojinhas.

O lugar também possui uma história muito importante. Durante o século XVII, ele foi habitado por escravos de países como Malásia e Indonésia, trazidos para a área pelos holandeses. Enquanto estavam alugadas, todas as residências deveriam permanecer brancas. Então, quando a regra foi suspensa e os escravos compraram as propriedades, elas foram pintadas com cores vivas como expressão de liberdade.

É possível saber mais sobre a parte histórica do bairro no Bo-Kaap Museum, confira o site oficial.  

Robben Island

A Robben Island é uma ilha que serviu de prisão durante o Apartheid. Um de seus prisioneiros foi Nelson Mandela, que lá permaneceu por 18 anos. Posteriormente, o local se tornou um monumento histórico e pode ser visitado.

Para realizar o passeio, é necessário comprar os ingressos antecipadamente. Os barcos saem do Waterfront e voltam cerca de quatro horas depois. A tour pela ilha e pelo presídio são guiadas por ex-detentos, enfim uma verdadeira aula sobre o passado da África do Sul.

Caso a viagem seja cancelada por conta das condições climáticas, o cliente possui a opção de remarcar ou ser reembolsado. Você pode conferir mais informações no site oficial.

Horário de funcionamento: as balsas operam às 9h, 11h, 13h e 15h. 

Valor: 600 rands para adultos, menores de 18 anos pagam 310 rands. 

Winelands

As vinícolas não podem ficar de fora do seu roteiro de viagem. As três cidades que fazem parte de Winelands são: Stellenbosch, Franschhoek e Paarl. Além do bairro Constantia, que fica em Cape Town. Você poderá degustar os prestigiados vinhos sul-africanos, e depois fazer uma tour pelas adegas e pelas cidades.

Stellenbosch

Stellenbosch fica a 80 km de Cape Town e possui mais de 150 produtoras de vinhos em sua região. É a segunda cidade mais antiga da África do Sul.

Algumas das vinícolas que você pode visitar são: Delaire Graff Estatesite oficial; Waterford Wine Estatesite oficial; Tokarasite oficial;

Franschhoek

Franschhoek fica a uma hora de Cape Town e possui vinhos tão maravilhosos quanto os de Stellenbosch. O passeio no Wine Train também é uma ótima escolha, o trem inclui oito rotas pelos vinhedos e a experiência hop-on hop-off permite que você planeje seu dia do jeito que preferir. Algumas das vinícolas que você pode conhecer são: La Mottesite oficial, Boschendal Farm Estatesite oficial e La Bourgogne Farm site oficial.

Paarl

Da mesma forma, a região de Paarl produz e exporta seu vinho para todo o mundo. Você pode provar alguns deles nos seguintes lugares: Fairview Estatesite oficial, Vendome Estatesite oficial e Laborie Estatesite oficial.

Constantia

Constantia fica dentro de Cape Town e possui uma das áreas mais nobres da região. Ou seja, essa é uma boa opção para quem quer fazer uma visita mais rápida às vinícola, sem ter que sair da cidade.  São diversos casarões, vinhedos, restaurantes e fazendas. Algumas vinícolas que você pode visitar são: Groot Constantiasite oficial.

Aquila Game Reserve

Certamente viver a experiência de um safari está na lista de qualquer pessoa que viaja à África do Sul, por isso, se você não conseguir conhecer o Kruger e quer fazer este passeio mais perto de Cape Town, indicamos o Aquila Game Reserve para esse tipo de passeio. A reserva privada fica a aproximadamente 2h de carro da cidade e oferece diversos pacotes.

Para chegar lá, você pode alugar um carro ou usar transfers de ida e volta que o Aquila disponibiliza para quase todos os pacotes, mediante o pagamento de uma taxa adicional.

Os pacotes se dividem em 4 grupos: safari durante todo o dia, safari apenas um período do dia, safari com pernoite e safari com voo. Você pode conferir valores e o que está incluso no passeio no site oficial.

Rota Jardim

A Rota Jardim é um dos grandes destaques da África do Sul. Com aproximadamente 300 km de distância, ela vai de George Town a Port Elizabeth, como resultado abriga várias atrações super famosas do país, como o Tsitsikamma National Park, Face Adrenaline Bungee Jump, Plettenberg Bay e Jeffrey’s Bay.

Port Elizabeth

Port Elizabeth é o ponto inicial ou final da rota, dependendo de qual direção você faz. A cidade possui praias muito bonitas, além disso foi uma das sedes durante a Copa de 2010 na África do Sul.

Para quem procura experiências com animais, o local possui também uma reserva de elefantes – o Addo Elephant Park site oficial.

Jeffrey´s Bay

Jeffrey’s Bay é conhecida como point do surf. Apesar de ser uma cidade pequena em comparação a Port Elizabeth, ela possui boas praias e outlets de marcas esportivas que valem a pena visitar.

Tsitsikamma National Park

O Tsitsikamma National Park é famoso por suas paisagens. Visto que o localé rodeado por florestas e fica de frente para o Oceano Índico. É possível se hospedar no parque, fazer trilhas e praticar esportes.

Uma das paradas obrigatórias é a The Big Tree, uma Yellowwood de oitocentos anos que possui 36 m de altura. Você pode conhecer também a Storms River, uma ponte suspensa com uma vista incrível.

Plettenberg Bay

Plettenberg Bay é recheada de passeios para os aventureiros, seja nas praias ou nas trilhas. É aqui que você encontra o maior bungee jump de ponte no mundo, o Bloukrans Bungy. São 236 m de altura e pura adrenalina.

Se você quer ver animais de pertinho é possível visitar o Monkeyland, o Birds of Eden e o Elephant Sanctuary, esses parques podem ser conhecidos no mesmo dia, pois ficam próximos. 

Também é possível fazer um safári e o Plettenberg Bay Game Lodge é a escolha mais procurada pelas famílias com crianças menores de 6 anos. Finalizando, você pode conhecer o belo Robberg National Park.

Knysna

Ao finalizar, ou iniciar, sua rota em Knysna, visite o Waterfront. O local possui ótimos restaurantes. Também é possível fazer um passeio de barco ao pôr do sol, lembre-se de fazer uma reserva.

Para quem não dispensa uma boa foto, a parada obrigatória é Knysna Heads. Além disso, a região também possui um santuário de elefantes, o Knysna Elephant Park, que cuida de animais realocados, filhotes órfão ou resgatados de ex-circos.

Transporte na África do Sul

Transporte Público

Em Cape Town, o transporte público, chamado MyCiti, é uma alternativa econômica e prática.  Ele liga o centro aos outros bairros, levando a destinos turísticos como o Waterfront, Green Point e Camps Bay. Para usar o sistema, é necessário ter o cartão Myconnect para pagamento da passagem. Você pode adquiri-lo nas estações do MyCiti ou nos pontos de venda da cidade.

São dois tipos de cartão. O de Viagem Única (Single Trip Car) é destinado a quem pretende usar o sistema apenas uma vez. Pode ser escolhido o trajeto sem aeroporto (mais barato) e o transporte que inclui ida ao aeroporto. Já o Myconnect Card é adquirido sem créditos e pode ser recarregado conforme a necessidade do usuário. É destinado a quem usa o sistema com frequência e oferece diversos pacotes para recarga.

O cartão deve ser apresentado nos validadores dos ônibus na entrada e na saída do transporte. Ao embarcar é cobrado o valor base, enquanto na descida é descontado um valor baseado na distância percorrida, no horário e no tipo de carga usada no cartão (créditos ou pontos). Além disso, máquinas instaladas nas estações MyCiti permitem consultar o saldo restante.

O valor pago pelo transporte é maior durante os horários de pico (segunda a sexta, entre 6h45 e 8h e entre 16h15 e 17h30). O sistema é integrado, o que permite passar de uma linha de ônibus para outra ou pegar outro ônibus em até 45 minutos depois do registro da primeira saída. Porém, é bom ter atenção pois pode ser cobrada uma tarifa na última saída por causa da distância percorrida.

Uber e Bolt

Uber e Bolt são concorrentes em questão de preço. Sugerimos que você baixe ambos os apps e faça a comparação. Os dois funcionam exatamente da mesma forma. Ambos são excelentes opções para as atrações que ficam mais no centro da cidade: não custa caro e você não precisa se preocupar com o estacionamento.

Red Bus (Cape Town e Joanesburgo)

O Red Bus é um ônibus turístico que pode te levar para conhecer vários pontos famosos da cidade, ele opera em Cape Town e Joanesburgo. No site oficial, você pode conferir todos os pacotes disponíveis e os seus respectivos valores. Da mesma forma, você pode fazer passeios pelo Cabo da Boa Esperança e Vinícolas utilizando este serviço.

Aluguel de carro

Se você busca maior independência para se locomover, essa é a melhor alternativa. A carteira de habilitação brasileira serve como documento para dirigir no país. Lembrando que na África do Sul todos dirigem na mão inglesa.

Quando ir para a África do Sul? 

A decisão sobre quando fazer sua viagem para a África do Sul pode depender de fatores como clima, quais atrações você planeja visitar e de como está a procura pelo destino. Sem dúvida o seu gosto pessoal vai determinar essa escolha.

Clima e Estação do Ano

Antes de embarcar, é preciso saber que o clima na África do Sul é temperado, mas ao longo de seu território é possível encontrar também outros tipos, como o tropical. Sendo assim, ele se parece um pouco com o Brasil.

O país é relativamente seco, as chuvas acontecem com mais frequência no verão. Por causa de sua localização no hemisfério sul, as estações do ano se dão nos mesmos meses que no Brasil. Isto é, verão de dezembro a fevereiro e inverno de junho a agosto.

Atrações por Estação

Não existe uma época ideal para visitar a África do Sul, já que é possível viajar para o país o ano inteiro. Apesar disso, algumas atrações são mais favoráveis em determinadas estações. Sendo assim, a escolha do mês de viagem dependerá das suas prioridades.

Se o seu objetivo é fazer safáris no Kruger, a melhor época é o inverno, ou seja, entre os meses de junho e agosto. O clima fica mais seco, a vegetação é menos densa e os animais se concentram para buscar água, tornando possível avistá-los mais facilmente.

Já o verão, nos meses de outubro até março, é ótimo para quem quer aproveitar o litoral e Cape Town. Caso você queira visitar tanto os safáris quanto as praias, com toda a certeza vale a pena investir nos meses de meia estação.

Dúvidas Comuns

Medidas Segurança Covid-19

O governo sul-africano determinou 5 níveis de lockdown para conter a covid-19 no país. Deste modo, as medidas são guiadas por critérios como número de infecção, taxa de transmissão, capacidade das unidades de saúde e o impacto econômico e social das restrições

O lockdown 1 indica um baixo risco de contágio e alta disponibilidade do sistema de saúde, já o nível 5 indica alta propagação do vírus. Em cada um deles existe uma particularidade sobre quais tipos de comércio fecham ou abrem, valendo o mesmo para atrações e restaurantes. No site do governo é possível se informar sobre qual nível de lockdown está vigente, acesse aqui

Onde comprar chip de celular

Você consegue comprar um chip assim que chega no aeroporto. Mas se puder esperar, é possível comprar em supermercados por um preço mais econômico.

Quais passeios fazer com crianças?

Sugerimos 3 tipos de passeio. O primeiro são os safáris, existem alguns que permitem a entrada de crianças menores de 6 anos como o Plettenberg Bay Game Reserve e o Aquila Game Reserve que já foram mencionados. Uma segunda opção é fazer um piquenique no Jardim Botânico de Cape Town, aposto que vai ser diversão garantida. E, se as crianças amam animais aquáticos, não pode faltar uma visita ao aquário Two Oceans. Além disso, as praias são passeios que sempre agradam a família toda, então não esqueça de colocá-las no roteiro da viagem.

Existem guias turísticos que falam em português?

Sim, existem, e para mais informação você pode entrar em contato com a nossa assessora de viagens. 

Onde comprar souvenirs sul-africanos?

Nas cidades turísticas não faltam lojinhas de souvenirs para atender a todos. Em Cape Town, basta explorar o V&A Waterfront Mall e você encontrará a Out of Africa, a African Curiosity e a Made in SA. Já em Joanesburgo indicamos o Rosebank Craft Market.

Curiosidades da África do Sul

Álcool

Se você quiser desfrutar uma boa cerveja nas praias sul-africanas, infelizmente não vai conseguir. Isto ocorre, pois o país proíbe o consumo nesses locais. Também não é permitido beber na rua. Bem como, o comércio de bebidas alcoólicas não é liberado antes das 9h e depois das 19h, exceto em bares e restaurantes. 

Prêmio Nobel

A África do Sul possui 10 prêmios Nobel: 3 para medicina, 2 para literatura, 1 para química e 4 para Paz. Dois dos vencedores, Nelson Mandela e Desmond Tutu, moraram na mesma rua em Joanesburgo, na Vilakazi Street.

Copas do Mundo

A África do Sul já sediou as copas do mundo de futebol (2010), cricket(2003) e rugby (1995).

Tomadas

Tomada África do Sul
Tomadas sul-africanas

Além de ser uma curiosidade, essa também é uma dica. As tomadas sul-africanas são bem diferentes das brasileiras: três bolinhas grandes que formam um triângulo. Os adaptadores universais podem não ser de grande ajuda, por isso é recomendado comprar um específico em algum supermercado do país.

Partiu preparar a viagem?

Agora que você sabe as principais informações sobre a África do Sul já pode começar a planejar a sua viagem. Certamente essa será uma experiência inesquecível. Caso você queira um roteiro personalizado, agende um bate-papo gratuito com nossa consultora, clicando aqui.