Fazer um planejamento de viagem pode parecer uma dor de cabeça, não é mesmo? Cada decisão tem que ser pensada estrategicamente contemplando o destino de viagem, período de estadia, gastos e muito mais. 

Ainda que seja uma atividade desafiadora e, por vezes, até cansativa, essa organização facilita a sua vida e evita muitos imprevistos. Portanto, o nosso artigo tem como objetivo te ajudar a planejar esse momento.

Abordaremos aqui:

Como definir o destino

planejamento de viagem

Primeiramente, é preciso escolher o destino de sua viagem. Esta etapa depende de algumas questões: quanto tempo você tem disponível para conhecer o lugar, o custo dessa viagem e quais seus objetivos com ela.

Tempo

Alguns destinos podem ser visitados em apenas um final de semana, porém outros demandam um período maior de estadia. Tenha isso em mente ao tomar sua decisão para não se frustrar.

Possíveis Gastos

Algumas cidades são mais caras que outras e isso pode ser determinante na sua decisão. Se seu plano é aproveitar suas férias, vale lembrar que esse período pode coincidir com os meses de alta temporada. Junho e julho, assim como dezembro e janeiro, são mais caros em relação ao resto do ano. É bom se atentar a isso, principalmente se seu destino é conhecido por ser uma cidade turística.

Ainda em relação ao orçamento, uma viagem internacional tem um custo muito maior que um passeio dentro do Brasil. Desse modo, saber sobre o câmbio é importante para definir se é possível viajar para o exterior no momento, ou se é preciso guardar dinheiro para realizar esse sonho futuramente. Além disso, os gastos com passagens aéreas podem ser um grande fator decisivo, sites como o Google Flight, Decolar e Skyscanner ajudam a encontrar voos com valores mais baratos.

Objetivos

Outra questão é o objetivo da viagem. Um passeio em família é bem diferente de um passeio romântico, por exemplo. Algumas cidades possuem atrações intimistas que podem encantar casais, mas que não estariam no roteiro de pais e filhos. Ou mesmo, se seu desejo é fazer turismo ecológico é mais fácil optar por locais que já estejam preparados para esse contato com a natureza e responsabilidade ambiental.

Uma boa dica é procurar vídeos e blogs de outras pessoas que já viajaram para os lugares que você deseja visitar.

Planejamento financeiro

Planejamento financeiro

Com o local já definido, o segundo passo é o planejamento financeiro. Essa etapa dependerá do tempo de hospedagem, o destino em si, assim como a locomoção pelo local, passagem, atrações, entre outras coisas.

O mais recomendado é fazer uma média dos gastos diários que você terá, além de montar uma pequena reserva para casos de urgência. Pegue um caderno e anote todas as despesas possíveis que ocorrerão durante a viagem.

A nossa equipe produziu recentemente uma Planilha de Gastos para a África do Sul. Durante o processo de pesquisa, procuramos o gasto que pode ocorrer com comida, transporte, aluguel de carro e as principais atrações que existem no país. Além disso, convertemos todo o preço em reais, assim fica mais fácil de definir a quantidade de dinheiro para levar na viagem.

Câmbio

No caso de viagens internacionais, é essencial que você esteja atento ao câmbio das moedas locais. É recomendado carregar pelo menos uma pequena quantidade de dinheiro local consigo quando se viaja para fora do país, especialmente para emergências. Troque o dinheiro em casas de câmbio aqui no Brasil ou ao chegar no destino.

Para saber como está a cotação do dia, você pode consultar a ferramenta do Banco Central que faz a conversão de moedas.

Cartão de crédito internacional ou cartão de débito pré-pago

Também é uma boa estratégia levar o cartão de crédito internacional ou o cartão de débito pré-pago, assim você não precisa carregar dinheiro em todos os lugares que visitar. Para utilizar os cartões é preciso habilitá-los para uso no exterior, então avise seu banco com antecedência. Entretanto, é importante lembrar que o IOF (imposto sobre operações financeiras) é cobrado nas compras feitas fora do país. O imposto é de 6,38% sobre operações feitas.

Quanto tempo ficar?

O tempo de estadia dependerá tanto do seu objetivo, quanto do seu orçamento. Uma vez que você delimita quanto pode gastar viajando, fica mais fácil decidir as datas de permanência. Certamente, quem possui recursos limitados e quer economizar terá uma estadia de curta duração. Já quem tem mais tempo e recursos flexíveis, pode planejar os dias de estadia pensando nas atrações que deseja conhecer.

Enquanto monta a programação, não esqueça de pensar nos dias de deslocamento entre cidades.

Montando o roteiro

Garota com mapa de planejamento de viagem

O mais legal de planejar uma viagem é montar o seu roteiro. Sem dúvida, essa parte demanda uma grande pesquisa e tempo. Tente sempre buscar as atrações mais bem avaliadas no Tripadvisor e em blogs de viagem, como o nosso ou o A Janela Laranja. Aliás, eles tem dicas incríveis sobre os melhores passeios para fazer na Suíça que podem ajudar no seu roteiro.

Passagem

Em primeiro lugar é preciso pesquisar sobre as passagens antes de embarcar na sua próxima aventura. Na hora da compra considere alguns fatores como: número de escalas, duração do voo e milhas.

Nem sempre aquele voo barato pode ser vantajoso, em alguns casos o deslocamento vai levar mais horas que o normal. Sempre avalie aquilo que está de acordo com suas preferências.

Aliás, uma boa dica é comprar as passagens com antecedência e verificar o histórico de preço para o local em questão. Alguns sites também são parceiros de empresas aéreas e oferecem desconto, então esteja alerta.

Qual transporte usar no destino?

Uma dúvida frequente é o deslocamento dentro das cidades. A escolha pode depender se a linha rodoviária do destino é bem desenvolvida, do quanto você planeja gastar e de outras questão. Diante disso, citamos algumas opções:

  • Aluguel de carro: essa é uma opção muito comum e que garante uma maior liberdade para os viajantes, mas lembre-se de procurar sobre as regras de trânsito do local antes de sair dirigindo por aí.
  • Transporte Público: para quem está querendo economizar essa é a melhor escolha. Procure saber quais as melhores opções de deslocamento através de aplicativos como o Moovit, que indica rotas feitas a pé, de ônibus e trem.
  • Táxi ou Uber: os carros de aplicativos são sempre uma boa opção, porém em alguns lugares o Uber é proibido, então não exclua totalmente o uso do Táxi. Apesar das taxas serem um pouco elevadas é um meio de transporte bem prático.

O que fazer?

Durante a etapa de escolha do que fazer no seu destino, você deve pensar no objetivo da viagem. Uma pessoa que queira aprender mais sobre uma cultura ou história, vai amar museus e pontos históricos. Já quem quer explorar esportes e natureza, colocará trilhas em seu roteiro.

Sobretudo, use sites e blogs de viagem para descobrir o que outros viajantes já fizeram na região. Logo depois, tente separar numa listinha quais atrações cabem no seu orçamento e tempo de viagem.

Ah e fique atento, alguns passeios precisam ser reservados, verifique essas questões antes de finalizar seu roteiro.

Onde ficar e onde comer?

Existem diferentes tipos de hospedagem: hotéis, hostels e aluguel de casas ou apartamentos. Nesse sentido, busque os lugares com melhor localização, segurança e conforto. Os sites que podem te ajudar nessa escolha são: Booking, Trivago e Airbnb.

Juntamente com a hospedagem, alguns hotéis oferecem serviço de café da manhã, facilitando a parte de alimentação. Ainda assim, é muito bom conhecer as comidas típicas e experimentar novos pratos. Pesquise avaliações de restaurantes em sites e blogs, assim não tem como errar.

Documentação Essencial

Por último, todo viajante deve verificar a documentação exigida para viagem. Em alguns países o passageiro precisa de visto para embarcar em voos, já em outros isso não é necessário. Além disso, algumas viagens pedem o seguro saúde e a comprovação de vacinação através do cartão internacional de vacinas. Pesquise se seu destino exige essas documentações.

  • Viagens Nacionais

Em viagens nacionais, os documento de identificação oficial com foto são exigidos, pode ser o Documento Nacional de Identidade, a Carteira de Habilitação e o novo Título de Eleitor. Mesmo que você não pegue um avião para o seu destino, é sempre bom ter algum desses documentos em mãos na hora de viajar.

  • Viagens Internacionais

No caso de viagens internacionais as regras variam bastante. Na América do Sul, os brasileiros podem circular apenas portando o RG, porém para outros países é preciso passaporte e visto. O portal do Itamaraty tem todas essas informações e contatos de embaixadas para tirar dúvidas.

Preparo final

Ao finalizar, faça a cópia registrada de todos os documentos que você vai usar, afinal, imprevistos acontecem e é bom estar preparado. Logo depois, tire um tempo para pesquisar mais sobre o clima do seu destino e monte uma mala que faça sentido para os momentos de calor e os de frio. Prontos para embarcar começar o seu planejamento de viagem?

Se você está planejando viajar para a África do Sul, dê uma olhadinha no nosso Guia completo sobre o país! Caso esteja inseguro sobre o planejamento por conta própria sempre opte por uma assessoria especializada!

3 comentários em “Planejamento de viagem: como fazer?”

  1. Pingback: Planejamento de viagem: qual é a melhor opção? - Viin Viagens Inteligentes

  2. Pingback: Conheça as Vinícolas em Cape Town - Viin Viagens Inteligentes

  3. Pingback: City Tour Joanesburgo: explore a cidade - Viin | Tudo sobre viagens para a África

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.